Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

{latest}

Morre o ator e diretor da Paixão de Cristo Carlos Reis, aos 84 anos, no Recife

Morre o ator e diretor da Paixão de Cristo Carlos Reis, aos 84 anos, no Recife Reis estava com leucemia e faleceu, em casa, na noite desta q...


Morre o ator e diretor da Paixão de Cristo Carlos Reis, aos 84 anos, no Recife
Reis estava com leucemia e faleceu, em casa, na noite desta quarta-feira (16). Segundo a família, o enterro está previsto para quinta (17), no Cemitério de Santo Amaro, na área central da capital.
Morreu na noite desta quarta-feira (16), no Recife, o diretor de teatro, ator e escritor Carlos Reis, de 84 anos. Ele passava por tratamento de leucemia havia oito anos e estava sob cuidados médicos em casa.
Até 2019, Reis dirigiu o espetáculo da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, em Fazenda Nova, no município de Brejo da Madre de Deus, no Agreste pernambucano. A peça não foi realizada nos últimos dois anos por causa da pandemia.
Segundo a família, o enterro foi marcado para a tarde de quinta-feira (17), no Cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife, com velório na parte da manhã.

Morre, aos 84 anos, ator e diretor da Paixão de Cristo, Carlos Reis
Ao longo da carreira, Reis atuou como ator e ficou famoso ao interpretar Jesus Cristo, durante nove anos, em Fazenda Nova. Nas últimas duas décadas, foi responsável pela direção do espetáculo (veja vídeo acima).
A relação de Reis com a Paixão de Cristo começou nos anos 60 do século passado, quando a peça era encenada nas ruas do distrito. Durante vários anos, ele ficou sem participar do espetáculo.
Em 1997, após a reformulação da Paixão de Nova Jerusalém, ele voltou a Fazenda Nova para comandar a peça. Detalhista, escreveu um livro sobre a experiência de fazer o personagem principal.

Carlos Reis interpretou Jesus no espetáculo da Paixão de Cristo de Fazenda Nova, no Agreste de Pernambuco — Foto: Reprodução/TV Globo
Na jornada da Paixão, Carlos Reis chegou a acumular as funções e ator e diretor. Com texto decorado, substituiu faltosos e fez o papel de vários personagens.
Carlos Reis também escreveu livros e atuou em pesquisas científicas. Foi professor universitário e pesquisador por mais de 30 anos.
Atuou nas áreas de agrometeorologia e climatologia. Após três anos de estudo, publicou um livro sobre a história do Instituto Agronômico de Pernambuco.

Carlos Reis (esquerda) e Lúcio Lombardi, diretores da Paixão de Cristo, em foto de 2016 — Foto: Luna Markman/G1
Notas de pesar
Em nota, a Sociedade Teatral de Fazenda Nova (STFN) afirmou que Reis, de forma brilhante, marcou a história da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém com talento, competência, dedicação e lealdade.
"Todos os que fazem a STFN expressam a mais profunda gratidão por todo o legado deixado por Carlos Reis na dramaturgia pernambucana e pelo privilégio de ter convivido com um ser humano tão especial", disse no texto.
Também por meio de nota, o governador Paulo Câmara (PSB) declarou que Carlos Reis era um "homem de grande inteligência e inúmeros talentos, também era professor universitário e pesquisador, atuando nas áreas de agrometeorologia e climatologia".
Além de mencionar que Carlos escreveu um livro sobre a história do Instituto Agronômico de Pernambuco, o governador desejou, "aos familiares e amigos, admiradores e fãs, nossos sinceros pêsames e solidariedade".

Nenhum comentário